Inovação e tecnologia

A inovação é um dos pilares de sustentação da MRS. A Companhia estimula seus colaboradores a buscarem soluções que possibilitem transportar de forma mais segura, eficiente e sustentável as milhões de toneladas que passam por seus trilhos, além de se preocupar com a experiência dos seus clientes. Para garantir que os colaboradores sejam protagonistas das inovações, a MRS iniciou em 2020 um processo estruturado para Gestão da Inovação. Por meio de Comitês, cada diretoria irá fomentar a Inovação nas áreas de negócio e terá a oportunidade de vivenciar a experimentação e a prototipação de projetos inovadores.

A MRS implantou também, como forma de disseminação da cultura de inovação, o Programa GMC (Grupos de Melhoria Contínua). O objetivo é incentivar a participação de todos colaboradores e colaboradoras operacionais na busca constante por melhores resultados por meio da inovação e melhoria contínua. Os grupos são compostos de forma voluntária e têm como foco a solução de problemas. Em seu primeiro ciclo foram formados 80 grupos de trabalho com quatrocentos e oitenta colaboradores.

Além disso, a MRS está desenvolvendo um Plano de Cultura Lean com foco na mudança de patamar dos resultados em busca de excelência operacional por meio da disseminação da filosofia Lean Manufacturing em todas as camadas da companhia. O Plano tem como objetivo simplificar os conceitos para que haja amplo entendimento da metodologia, sendo um dos pilares a Capacitação e Desenvolvimento dos colaboradores da MRS. O resultado esperado é o empoderamento das áreas para a busca por melhorias de processos e eliminação de desperdícios. Todo o trabalho será feito de forma a garantir harmonia entre segurança, confiabilidade, produtividade e custo.

Ideias em Ação

Também merece destaque o Programa Ideias em Ação (I.A.), com foco no incentivo à geração de ideias inovadoras, individuais ou coletivas, que busca desde 2001 soluções que garantam produtividade e aperfeiçoamento dos processos internos. Ano após ano, o programa vem sendo melhorado e hoje se tornou uma ferramenta de inovação proativa e protagonismo. Os resultados abaixo mostram a evolução do I.A. tanto em quantidade de ideias implantadas quanto no tempo de conclusão da iniciativa. Em 2020, foram implementadas 94 ideias, o que representou um crescimento de 19% em relação a 2019 de mais de 100% se comparado a 2018.

Conclusão de ideias (%)

Tempo de concepção, prototipagem, teste, validação e escalada (mediana em dias)

Ideias implementadas (quantidade)

Um exemplo de ideia implantada através do I.A. é a Automatização da Capina Química, em que o colaborador passou a acionar a aspersão dos defensivos de dentro da cabine do veículo rodoferroviário. Os ganhos capturados com essa ideia estão ligados ao cumprimento das exigências do órgão regulador para a atividade, redução do impacto ambiental e aumento de 100% da produtividade do colaborador. Saiba mais no vídeo:

Soluções Inovadoras

Após o rompimento da barragem da Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG), a MRS se viu diante de um grande desafio: outras barragens foram interditadas gerando uma Zona de Autossalvamento (ZAS), impossibilitando as operações da MRS no Terminal do Andaime em Itabirito (MG). Em uma resposta rápida e inovadora, desenvolvida internamente em tempo recorde pela equipe MRS, surgiu uma tecnologia capaz de garantir a operação ferroviária na ZAS, através de trem não tripulado. 

Batizada de SLOA (Sistema de Locomotiva Operada Autonomamente), a solução foi concebida em uma plataforma baseada em microcontroladores (ESP32), e assim que validada recebeu equipamentos de alta performance e robustez, os Controladores Lógicos Programáveis (CLP). Baseada em coordenadas geográficas (posição GPS), o sistema realiza comandos na locomotiva a partir de relés e atuadores eletromecânicos, que garantem a circulação do trem padrão de transporte de minério de ferro, com 136 vagões gôndola (modelo GDT ou GDU). 

Diversos recursos garantem a segurança dessa operação, que conta com equipamentos de automação industrial certificados internacionalmente para ferrovias; sistema de sinalização CBTC; sistemas redundantes para parada do trem, como o CDV (Circuito de Via), rádio portátil e o DEL (dispositivo de emergência da locomotiva). Caso necessário, é possível controlar o trem remotamente através de um tablet industrial, que se comunica diretamente com a locomotiva e pode ser utilizado também via rede LTE. 

Ter a inovação como pilar indispensável do negócio MRS garantiu uma resposta rápida ao desafio imposto pelo rompimento da barragem de Brumadinho e, em consequência, a manutenção do fluxo de transporte seguro e eficiente na ZAS. O bloqueio de circulação de pessoas na área impacta não só a passagem do trem, mas também as manutenções necessárias no trecho, o que fez surgir outro desafio para a MRS: como garantir a manutenção remota da malha? Mais uma vez a MRS desenvolveu internamente uma solução inovadora, em que a Railvac percorreu o trecho realizando as manutenções necessárias, com o comando sendo dado por um operador em uma locomotiva fora da ZAS, por meio de um aplicativo de smartphone.

Saiba mais sobre a operação do trem não tripulado.

A MRS se consolidou como ferrovia pioneira no Brasil ao tornar possível manobras guiadas por controle remoto. O sistema garante controle preciso da velocidade e dos freios, engates suaves e rápidos e resposta imediata do equipamento para o operador e assim, a condução segura e ágil da locomotiva por até 1,6 Km.

O sistema possibilita que dois operadores remotos, em locais diferentes, alternem o comando de uma mesma locomotiva. Há vários dispositivos de segurança que garantem a interrupção da operação em caso de risco, como o sensor de queda do operador, o monitoramento de perdas e da saúde do sinal e a confirmação de inatividade do sistema.

O dispositivo IoT tem como base a tecnologia 4G e garante acompanhamento online das atividades, dos parâmetros e da localização das locomotivas e dos operadores. Esse sistema inovador mudou de patamar o desempenho operacional das manobras MRS em pátios e terminais. Saiba mais em

O indicador de eficiência energética mede o consumo de combustível (diesel) para se transportar mil toneladas por um Km (litros por mil TKB). A MRS melhorou em 18,2%, a eficiência energética de sua operação nos últimos 10 anos com o desenvolvimento e implantação de tecnologias embarcadas nas locomotivas. Sistemas como o AESS (Auto Engine Start Stop), que desliga o motor diesel de forma automática quando este não é necessário, e a CID (Chave de Isolamento a Distância), que permite controlar a entrega de potência entre as locomotivas do trem e assim otimizar o consumo de diesel, possibilitaram eficiência e redução de custo na operação MRS.

A MRS desenvolveu um sistema que integrou as informações de suas balanças com as informações dos clientes de Heavy Haul. As informações de pesagem dos trens são processadas e enviadas pelo sistema, que identifica a existência de alguma anomalia na carga e descarga e emite alarmes que permitem a correção de forma tempestiva. O sistema indica o ajuste a ser realizado, cria a atividade necessária e garante as informações em tempo real e agilidade nas correções. Saiba mais sobre a balança ferroviária em

Utilizando conceitos de RPA (Robotic Process Automation), a MRS implementou o Centro de Controle de Pátios para gerir os terminais de minério de ferro em Minas Gerais de forma otimizada. Foram ampliados os sistemas de comunicação de voz, automatizadas as rotinas e redesenhados os processos. A coleta de dados da equipe operacional via mobile permitiu aumentar a assertividade da programação. O novo modelo trouxe ganhos em eficiência energética, qualidade no atendimento aos clientes e produtividade para os terminais.

Como a inovação na MRS é um processo contínuo, a Companhia segue trabalhando em novos desafios. Um deles é ampliar o tamanho dos trens a partir de tecnologias embarcadas. Os resultados serão aumento da capacidade de transporte, aumento da eficiência operacional, redução do consumo de combustível e diminuição da interferência nos centros urbanos por onde passa a ferrovia MRS. 

Outro projeto em andamento é a utilização de vídeoanalytics no processo de identificação de anomalia de carga em trens já em circulação. Os resultados no projeto piloto foram animadores e a MRS espera que, após a implantação da tecnologia, haja grande avanço na gestão e segurança das cargas transportadas.

Em 2020, a MRS deu mais um passo para a sua transformação digital com o Projeto Conecta, que permitirá a unificação dos sistemas de tecnologia, melhorando processos e fluxos. Para tanto, será adotada a plataforma SAP, que permitirá a padronização das informações geradas e unificação dos sistemas em todas operações. A previsão é de que o Projeto Conecta esteja entregue, por completo, até 2022. Como resultado, a MRS se beneficiará com aceleradores baseados em melhores práticas do segmento; plataforma integrada, com visão transacional e analítica em tempo real; transformação de tarefas manuais em análises de negócio; garantindo governança e confiabilidade dos dados; além de funcionalidades inovadoras para MRS.

Saiba mais no Canal MRS

Os riscos cibernéticos estão cada vez mais relevantes, gerando a necessidade de olhar atento e criterioso para garantir disponibilidade, confidencialidade e integridade das informações das operações MRS. A Política de Segurança da Informação da Companhia define e padroniza a proteção e a privacidade das informações e foi baseada nos padrões da norma internacional ISO/IEC 27000, que é um guia com as melhores práticas de gestão de segurança.

Toda a operação de Segurança da Informação é suportada por uma robusta estrutura tecnológica que contempla toda a arquitetura de sistemas de informação composta por modernas soluções de mercado e, também, por soluções de desenvolvimento específico para atender as particularidades de uma ferrovia. Destacam-se a infraestrutura de datacenter e telecomunicações de alto desempenho e a segurança e disponibilidade que conecta toda a MRS provendo comunicação, colaboração e produtividade para todos os colaboradores, além de conectividade para as soluções de IoT e nuvem. 

Em 2020, a Companhia deu continuidade aos investimentos para desenvolvimento e implementações de soluções de segurança da informação, que incluem redundância de conectividade, proteção de infraestrutura, gestão de vulnerabilidades, armazenamento e processamento. Para os próximos anos, estão previstos investimentos ainda maiores, com implantação de novas tecnologias, transformação digital, melhoria de processos de TI, adequações a novas legislações brasileiras, proteção de dados e continuidade de aculturamento através de campanhas de conscientização corporativa.

A avaliação dos riscos relacionados à Segurança da Informação é feita em conjunto com as áreas internas, parceiros de negócio e equipe de Tecnologia da Informação. A violação de controles de segurança ou o não cumprimento da política ou das normas e procedimentos são considerados infrações graves. Sua apuração passa pelo Comitê de Gestão de Segurança da Informação.

Com relação à Lei Geral de Proteção de Dados (Lei 13.709/18), existe um projeto em andamento que envolve todos os setores da companhia e tem como objetivo identificar os gaps, os controles já existentes e, principalmente, o desdobramento de ações corretivas e alterações que precisam ser adotadas nas operações para que a MRS esteja em conformidade com a lei. A alta liderança apoia e está patrocinando o programa de privacidade, liderado pela área Jurídica e de Tecnologia da Informação, garantindo os investimentos necessários para plano de governança de TI.

Inovação como parte do DNA

Em 1998, a MRS fez seu primeiro investimento significativo em um projeto pioneiro, um Simulador de Trens que, 23 anos depois, já treinou mais de 5.000 colaboradores. Daí em diante não parou mais. Além das inovações destacadas em 2020, a MRS mantém em sua trajetória diversas outras iniciativas pioneiras no setor ferroviário. Em 2012, deu o primeiro passo para eliminar os gargalos no acesso ferroviário ao Porto de Santos, desafogando as rodovias, ao se unir à fabricante suíça Stadler para a criação de locomotivas para a operação da companhia na Serra do Mar, em São Paulo, as chamadas Cremalheiras.

Garantindo a segurança operacional da carga nas descidas e subidas em terrenos com até 10% de inclinação, a tração das locomotivas é feita com uma roda dentada que incide sobre um terceiro trilho, também dentado, colocado entre os dois trilhos convencionais. As máquinas criadas especialmente para esse projeto são 60% mais eficientes que as utilizadas anteriormente.

Em outro exemplo, a MRS foi a primeira ferrovia de carga do mundo a implantar o sistema de controle de trens baseado em comunicação: o CBTC (Sistema de Controle de Trens baseado em Comunicação). Com ele, os trens trafegam em intervalos menores de tempo em função do monitoramento eletrônico e preciso. O resultado é a ampliação da capacidade de transporte de cargas com segurança ferroviária, impedindo que um trem invada o espaço do outro. Outro ganho significativo é a redução da necessidade de comunicação por voz, garantindo a eficiência operacional.

A busca proativa por novas tecnologias e sistemas de automação é constante na rotina de todas as áreas da MRS. O uso cada vez maior da automação e novas tecnologias garante, ano após ano, uma operação ferroviária cada vez mais confiável, competitiva, inovadora e segura para colaboradores e comunidades lindeiras, gerando valor para clientes e acionistas.

Com uso intenso de automação a MRS garante operação ferroviária de qualidade sem abrir mão da segurança operacional dos colaboradores e das comunidades lindeiras.  Para os sistemas de suporte à operação ferroviária estão em estudos novas soluções com foco em produtividade, mobilidade e automatização de tarefas. Tais implementações servirão de alicerce para as iminentes iniciativas de transformação.

Fazer download da página

Download do relatório

Download center

Complementos dos indicadores GRI