Biodiversidade

GRI 103-1, 103-2, 103-3, 304-1, 304-3

Parte da malha ferroviária da MRS está inserida em regiões de proteção da biodiversidade, que incluem dois importantes biomas brasileiros – a Mata Atlântica e o Cerrado – e 17 Unidades de Conservação (UC)s. Em consonância com a responsabilidade socioambiental e com o compromisso legal, a MRS dispõe de programas de gerenciamento ambiental que visam à mitigação e à compensação dos impactos causados por suas operações à flora e fauna.

Supressões de vegetação ou manejo/afugentamento de fauna são atividades que podem ser necessárias na implantação de novas linhas ferroviárias da Companhia ou na ampliação das já existentes. Quando previstas, são realizadas a partir de estudos ambientais e autorizações dos órgãos ambientais competentes, cumprindo-se ainda as medidas compensatórias propostas. Um exemplo recente pode ser visto na obra que está sendo realizada pela MRS em Pederneiras, interior de São Paulo, em que a supressão de vegetação foi acompanhada por uma equipe técnica (biólogo e veterinário), responsável pelo afugentamento e captura dos animais da região. Para prestação dos serviços que eventualmente fossem necessários, foram firmados contratos com uma clínica de reabilitação de animais e com um museu local. A Companhia mantém também o Programa de Reabilitação de Área Degradada, que além das ações de reabilitação, é responsável pelas manutenções e monitoramento das áreas recuperadas por três anos, assegurando o sucesso das medidas. A MRS atua ainda, de maneira preventiva por meio de inspeções frequentes, nos pontos críticos de drenagem, que possam ocasionar processos erosivos na via férrea em sua faixa de domínio, realizando as obras de construção, adequação e manutenção necessárias. Até o momento foram reabilitados cerca de 12,4 hectares de áreas degradadas, ao longo da malha ferroviária. Em 2020, devido ao cenário pandêmico, a MRS não reabilitou novas áreas. As atividades desenvolvidas foram a construção e a manutenção de dispositivos de drenagem ao longo da ferrovia, bem como a manutenção de quatro áreas que foram recuperadas em anos posteriores. Saiba mais.

Áreas degradadas/reabilitadas

GRI 304-3

Impactos gerados a partir da intervenção da Companhia em APPs (Áreas de Preservação Permanente) durante serviços e obras de rotina, em sua malha ferroviária, contam com um programa de compensação próprio, o Plantio Compensatório – Caminhos Verdes. Em 2020, foram plantadas cerca de 13 mil mudas nativas do bioma da Mata Atlântica no Parque Natural Municipal da Lajinha, em Juiz de Fora (MG), correspondendo a uma área de 7,8 hectares de plantio, o que equivale a uma área plantada de, aproximadamente, 7 campos oficiais de futebol.

Unidades de Conservação interceptadas pela malha ferroviária da MRS

As operações da MRS encontram-se dentro das áreas de proteção ambiental.

Fazer download da página

Download do relatório

Download center

Complementos dos indicadores GRI